Diabetes tipo 2 é a forma mais comum de diabetes. A maioria das pessoas com diabetes, são portadores do tipo 2 da patologia e este número está aumentando, especialmente em pessoas mais jovens. Mais pré-adolescentes, adolescentes e adultos jovens também estão sendo diagnosticados com diabetes tipo 2 mais do que nunca.

Como o diabetes tipo 1, o diabetes tipo 2 é herdado. Isso significa que um grupo de genes que pode levar ao tipo 2 é passado de mães e pais para os filhos. Nem todo mundo que herda os genes irá desenvolvê-lo, mas se você tem os genes para o diabetes tipo 2, terá uma chance maior de desenvolvê-lo. Suas chances são ainda maiores se você também estiver acima do peso e não fizer exercícios regularmente.

Uma dieta rica em açúcares simples e outros alimentos não saudáveis ​​pode fazer você ganhAR peso, o que contribui com o desenvolvimento da diabetes. A maioria das pessoas diagnosticadas com diabetes tipo 2 estão com excesso de peso.

Além de estar acima do peso, existem alguns outros fatores que colocam uma pessoa em maior risco de desenvolver diabetes tipo 2, incluindo:

  • Ter uma história familiar de diabetes;
  • Ser mais velho que 40 anos;
  • Ter diabetes gestacional durante uma gravidez;
  • Dar à luz a um bebê muito acima do peso ideal;

Resistência à insulina e glicemia de jejum alterada

A resistência à insulina acontece quando as células têm dificuldade em usar a insulina. As células resistem a absorção da insulina e não trabalham tão rápido para deixar o açúcar dentro do organismo. Quando isso acontece, o pâncreas trabalha com mais intensidade para produzir mais insulina para manter os níveis normais de açúcar no sangue.

A resistência à insulina pode levar a uma condição chamada tolerância à glicose diminuída ou glicose em jejum prejudicada. Isso acontece quando o pâncreas não consegue produzir insulina suficiente para manter os níveis de açúcar no sangue dentro da faixa normal.

  • Em alguém com tolerância normal à glicose, a glicemia de jejum (o exame de sangue feito logo de manhã, antes de comer qualquer coisa) é sempre menor que 100;

  • Uma pessoa com tolerância à glicose diminuída possui um nível de glicose no sangue em jejum entre 100 e 125;

  • Pessoas tem diabetes quando sua glicemia de jejum é sempre maior que 125.

Sintomas

Os sintomas do diabetes tipo 2 podem se desenvolver lentamente ao longo do tempo. Às vezes eles são confundidos com outros problemas de saúde, pois os sintomas aparecem lentamente.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) acredita que 1 em cada 11 pessoas no mundo têm diabetes. Esse número só cresce.

Esses sinais mais frequentes de diabetes tipo 2 são:

  • Fadiga. O corpo não é capaz de converter o açúcar de comida em energia;
  • Urinar mais que o normal. Os rins estão se livrando do açúcar extra no sangue através da urina;
  • Sede extrema. O corpo perde muita água através de mais micção;
  • Propenso a infecções. Preste atenção para infecções vaginais ou feridas na pele que curam lentamente;
  • Desidratação. O corpo continua perdendo água com o aumento da micção;
  • Pele seca e com coceira. Isso pode acontecer por estar desidratado;
  • Dormência ou formigamento nas mãos ou pés. Com o tempo, altos níveis de açúcar no sangue afetam os nervos que nos permitem sentir pressão, dor e calor e frio;
  • Visão embaçada. As lentes dos olhos incham;
  • Problemas fazendo sexo. Os órgãos sexuais são afetados pela falta de fluxo sanguíneo.

Tratamento

Cada pessoa com diabetes tipo 2 terá um plano de cuidados projetado para resolver seus problemas de saúde específicos e atingir seus objetivos. O plano de tratamento para uma pessoa não será o mesmo de outra. Além disso, o plano de cuidados de uma pessoa pode mudar com o tempo, à medida que as necessidades também mudam com a evolução ou não da doença.

Um pequeno número de pessoas com diabetes tipo 2 pode manter seus níveis de açúcar no sangue dentro de um padrão normal, seguindo um plano de cuidados que envolve observar o que eles comem, fazer atividade física e manter um peso saudável. Isto é especialmente verdadeiro para pessoas que são diagnosticadas nos estágios iniciais do diabetes, enquanto seus corpos ainda estão produzindo insulina.

Muitas pessoas começam a tomar remédios depois de terem diabetes por algum tempo. Muitas pessoas também começam a tomar pílulas de diabetes para ajudar seus corpos a usar melhor sua própria insulina. Quando as pílulas não são suficientes, pode-se começar a tomar uma injeção de insulina antes de dormir ou em outras ocasiões durante o dia.

Prevenção

Ter resistência à insulina ou tolerância à glicose diminuída pode aumentar suas chances de desenvolver diabetes no futuro. Mas há coisas que se pode fazer para diminuir seu risco.

Você pode ajudar as células do seu corpo a responder melhor à insulina, mantendo um peso corporal mais saudável e praticando exercícios regulares. Com menos resistência, a insulina pode levar o açúcar para dentro das células mais rapidamente, e seu pâncreas não precisará trabalhar tanto para atender às demandas de insulina do corpo.

Caso exista risco de diabetes tipo 2, você pode atrasá-lo ou evitá-lo com bons hábitos, incluindo uma dieta saudável, exercícios regulares e, se necessário, perda de peso como falamos ao longo deste artigo.

Deixe a sua avaliação