Diabetes e alimentação - O que devo comer? 1 A Diabetes não tem cura. Ela pode ser revertida ou estabilizada.

Pessoas com diabetes devem seguir diretrizes específicas. Comer a quantidade recomendada de comidas dos cinco grupos de alimentos irá fornecer-lhe os nutrientes que você precisa para ser saudável e prevenir doenças crônicas, como obesidade e doenças cardíacas. Diabetes e alimentação são duas coisas que precisam estar interligadas!

Para ajudar a gerenciar a alimentação na diabetes, siga as seguintes etapas:

  • Coma refeições regulares e divida-as uniformemente ao longo do dia;
  • Alimente-se com uma dieta menos gordurosa, principalmente gordura saturada;
  • Se você toma comprimidos de insulina ou diabetes, poderá precisar de mais lanches;

É importante reconhecer que as necessidades de todos são diferentes. Sendo assim, todas as pessoas com diabetes devem consultar um nutricionista. De qualquer forma, para conferir algumas dicas importantes sobre diabetes e alimentação é só continuar a leitura.

Diabetes e alimentação: Equilíbrio energético

Equilibrar a quantidade de comida ingerida com a quantidade de energia que você queima através da atividade física é importante. Colocar muito combustível em seu corpo pode levar ao ganho de peso. Consequentemente, estar acima do peso ou obeso pode dificultar o controle do diabetes e aumentar o risco de doenças cardíacas, derrame e câncer.

Limite os alimentos ricos em energia, como biscoitos doces, bolos, bebidas açucaradas, pirulitos, chocolates e salgadinhos. Algumas pessoas têm uma dieta saudável, mas comem demais.

Reduzir o tamanho da sua porção é uma maneira de diminuir a quantidade de energia que você ingere. Ser ativo tem muitos benefícios também. Juntamente com uma alimentação saudável, a atividade física regular pode ajudá-lo a gerenciar seus níveis de glicose no sangue, reduzir suas gorduras no sangue (colesterol e triglicérides) e manter um peso saudável.

Gordura

As gorduras têm o maior conteúdo de energia de todos os alimentos. Comer muita gordura pode fazer você engordar, o que pode dificultar o controle dos níveis de glicose no sangue. Nossos corpos precisam de alguma gordura para uma boa saúde, mas o tipo de gordura que você escolhe ingerir é importante.

Gordura saturada

É importante limitar a gordura saturada porque ela aumenta os níveis de colesterol LDL (“ruim”). Gordura saturada é encontrada em alimentos de origem animal, como carne gorda, leite, manteiga e queijo. As gorduras vegetais que são saturadas incluem óleo de palma (encontrado em gorduras de cozimento sólidas, salgadinhos ou alimentos de conveniência) e produtos de coco, como leite de coco ou creme.

Para reduzir a gordura saturada:

  • Escolha leite com baixo teor de gordura, iogurte, queijo, sorvete e creme;
  • Escolha carne magra e corte qualquer gordura antes de cozinhar;
  • Retire a pele do frango, pato e outras aves (quando possível, antes de cozinhar);
  • Evite usar manteiga, banha, óleo, creme, leite de coco, creme de coco e margarina;
  • Limite de pastelaria, bolos, pudins, chocolate e biscoitos cremosos para ocasiões especiais;
  • Limite biscoitos pré-embalados, snacks salgados, bolos;
  • Evite alimentos fritos para viagem, como batatas fritas, frango frito e peixe assado. Escolha churrasco de frango (sem a pele) e peixe grelhado;
  • Evite tortas, pães e salgados;
  • Em vez de molhos ou curativos cremosos, escolha aqueles que são baseados em tomate, soja ou outros ingredientes com baixo teor de gordura;
  • Limite sopas gordurosas.

Gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas

Comer pequenas quantidades de gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas pode ajudar a garantir que você obtenha os ácidos graxos essenciais e as vitaminas que seu corpo necessita.

Gorduras poliinsaturadas incluem:

  • Margarinas poliinsaturadas (verifique o rótulo da palavra “poliinsaturado”);
  • Óleos de girassol, cártamo, soja, milho, semente de algodão, grainha de uva e gergelim;
  • A gordura encontrada em peixes oleosos como arenque, cavala, sardinha, salmão e atum.

Gorduras monoinsaturadas incluem:

  • Canola e azeites;
  • Algumas margarinas;
  • Abacate.

Sementes, nozes e óleo de amendoim contêm uma combinação de gordura poliinsaturada e monoinsaturada.

Ideias para desfrutar de gorduras saudáveis

  • Frite a carne e os legumes em um pouco de óleo de canola (ou spray de óleo) com alho ou pimenta;
  • Preparar uma salada ou legumes no vapor com um pouco de azeite e suco de limão ou vinagre;
  • Polvilhe as sementes de gergelim em vegetais cozidos no vapor;
  • Use pão de linhaça e espalhe um pouco de margarina de canola;
  • Lanche um punhado de nozes sem sal, ou adicione um pouco para fritar ou salada;
  • Adicione abacate as saladas;
  • Coma mais peixe (pelo menos três vezes por semana). Eles contém um tipo especial de gordura (ômega-3) que é boa para o coração;
  • Fazer assados mais seco, grelhados. utilizar microondas e fritar em uma panela antiaderente;
  • Evite alimentos fritos e empanados.

Carboidrato

Alimentos ricos em carboidratos desempenham um papel importante na nossa dieta. Eles são a melhor fonte de energia para o seu corpo, especialmente o seu cérebro. Quando carboidratos são digeridos eles se quebram para formar glicose na corrente sanguínea.

A insulina retira a glicose do sangue e a coloca nos músculos, fígado e outras células do corpo, onde é usada para fornecer energia. A maioria dos alimentos contendo carboidratos também são fontes muito boas de fibras, vitaminas e minerais que mantêm nosso corpo e intestinos saudáveis.

Dos três nutrientes essenciais em nossa alimentação – gordura, proteína e carboidrato – o carboidrato é o nutriente que terá o maior impacto nos níveis de glicose do sangue. O efeito do carboidrato dependerá da quantidade de carboidrato que você come e do tipo de carboidrato que você ingere.

As necessidades de carboidratos de todos são diferentes dependendo do seu sexo, da sua atividade, da sua idade e do seu peso corporal. Qualquer pessoa com diabetes deve consultar uma nutricionista para calcular a quantidade de carboidratos que deve comer em cada refeição e lanche.

Para algumas pessoas, uma dieta com pouco carboidrato pode ajudar no controle do diabetes. Se você está considerando reduzir o teor de carboidratos da sua dieta, consulte sua equipe de saúde para aconselhamento individualizado.

Se fizer refeições regulares e distribuir seus alimentos com carboidratos uniformemente ao longo do dia, ajudará a manter seus níveis de energia sem causar grandes aumentos nos níveis de glicose no sangue. Se você toma comprimidos de insulina ou diabetes, pode precisar de um lanche entre as refeições. Discuta isso com o seu médico ou nutricionista.

Todos os alimentos com carboidratos são digeridos para produzir glicose, mas o fazem em ritmos diferentes – alguns lentos, outros rápidos. O índice glicêmico ou GI é uma maneira de descrever com que rapidez um carboidrato é digerido e entra na corrente sanguínea.

Alimentos de baixo carboidrato entram na corrente sanguínea lentamente e têm menos impacto sobre os níveis de glicose no sangue. Exemplos de alimentos com IG baixo incluem: aveia tradicional laminada, lentilhas e legumes, batata-doce, leite, iogurte e massas. O tipo de carboidrato que você come é muito importante. A melhor combinação é ingerir quantidades moderadas de carboidratos de baixo IG e de alto teor de fibras.

Açúcar

Um plano alimentar saudável para diabetes pode incluir um pouco de açúcar. Não há problema em polvilhar açúcar em mingau ou um pouco de geléia em um pão com alto teor de fibras. No entanto, alimentos que são ricos em açúcares adicionados e fontes pobres de outros nutrientes devem ser consumidos com moderação. Em particular, limite alimentos de alta energia, como doces, picolés e refrigerantes comuns.

Algum nível de açúcar também pode ser usado na culinária e muitas receitas podem ser modificadas para usar menos do que a quantidade indicada. O açúcar também pode ser bastante substituído por um adoçante alternativo.

Adoçantes alternativos

Como mencionado acima, pequenas quantidades de açúcar, como parte de um plano alimentar equilibrado, não devem ter um grande efeito nos níveis de glicose no sangue. No entanto, adoçantes específicos podem ser usados ​​no lugar do açúcar, especialmente se eles estão substituindo grandes quantidades de açúcar. Alimentos e bebidas que foram adoçados com um adoçante alternativo, como refrigerantes diet, pirulitos sem açúcar, entre outras coisas, também são melhor aproveitados ocasionalmente, pois não têm nenhum benefício nutricional e podem muitas vezes tomar o lugar de alimentos mais nutritivos como, legumes, laticínios, nozes e água.

Proteína

Alimentos protéicos são necessários ao organismo para crescimento e reparo. A proteína não se decompõe em glicose, por isso não eleva diretamente os níveis de glicose no sangue.

Os principais alimentos protéicos são:

  • Carnes, frango, peixe e tofu;
  • Ovos;
  • Sementes de nozes;
  • Queijo.

Existem alguns alimentos protéicos que também contêm carboidratos, como leite, iogurte, lentilhas e legumes, o que afetará os níveis de glicose no sangue, mas estes ainda devem ser incluídos como parte de uma dieta saudável.

Beber água

A água é necessária para a maioria das funções do corpo e o corpo precisa ser mantido hidratado todos os dias. A água é a melhor bebida, porque não contém quilojoules extras e não afetará os níveis de glicose no sangue. Outras boas escolhas são:

  • Chá, café, água;
  • Se você quiser uma bebida doce, ocasionalmente, produtos rotulados como ‘dieta’ são recomendáveis;
  • Se você optar por beber álcool, limite o consumo a não mais do que duas doses padrão por dia, com alguns dias livres de álcool a cada semana.

Assista o vídeo abaixo sobre diabetes e alimentação: