Doença autoimune crônica, o diabetes mellitus tipo 1 é conhecido pela ausência da produção de insulina por parte do pâncreas. Isso, é claro, causa diversos problemas para o organismo como um todo. Um dos principais entre eles é que o açúcar que entra no corpo por meio da alimentação não consegue ser utilizado como fonte de energia.

Sendo assim, todo esse açúcar acaba ficando na corrente sanguínea, o que deixa os níveis de glicemia bastante altos. Alguns sintomas do diabetes mellitus tipo 1 são perceptíveis, no entanto é muito comum que grande parte dos pacientes não sinta nada com a doença. Por isso é realmente muito importante consultar um médico pelo menos uma vez por ano e fazer exames para ver se está tudo em ordem.

Muitas outras coisas envolvem o diabetes mellitus tipo 1 e foi exatamente por isso que esse guia completo foi preparado para você. Acompanhe ele até o final e fique por dentro de tudo sobre esse tipo de diabetes que, infelizmente, é muito comum.

Diabetes mellitus tipo 1

Por mais que já tenha sido dada uma breve explicação do que é o diabetes mellitus tipo 1, nunca é demais falar sobre esse assunto. Como uma doença autoimune, esse tipo de diabetes é responsável por cessar por completo ou parcialmente a produção de insulina no organismo. Ou, mesmo que essa produção seja mantida, pode ser que o corpo não reconheça mais esse hormônio.

Sendo assim, todo o açúcar que é ingerido acaba permanecendo na corrente sanguínea. E, como você já sabe, isso causa vários problemas. Na maioria dos casos, ao contrário do diabetes tipo 2 – o qual será abordado um pouco mais para frente -, o diabetes tipo 1 é um problema genético, ou seja, pode ser passado de pai para filho. Dessa forma, é uma doença diagnosticada entre a infância e adolescência.

É válido ressaltar que o diabetes mellitus tipo 1 não tem cura. A boa notícia é que os sintomas podem ser controlados por meio de uma alimentação saudável, da prática de exercícios físicos e, principalmente, com a injeção diária de insulina, a qual precisa ser feita, é claro, sob orientação de um profissional de saúde.

Quer saber mais sobre o diabetes mellitus tipo 1 e tudo o que está por trás dessa doença? Então continue a leitura do artigo!

Principais sintomas do diabetes mellitus tipo 1

É bastante comum que os pacientes de diabetes mellitus tipo 1 relatem que não sentiram nenhum sintoma antes de serem diagnosticados com diabetes. O diagnóstico foi feito por causa de exames de rotina mesmo. Dessa forma, o diabetes pode ser considerado uma doença silenciosa.

No entanto, apesar dessa questão, existem alguns sintomas comuns para quem possui diabetes mellitus tipo 1. Veja a seguir quais são os principais:

  • Vontade de ingerir líquidos a todo o momento;
  • Vontade de fazer xixi frequentemente;
  • Aumento do apetite;
  • Muito cansaço;
  • Perda de peso repentina;
  • Visão turva ou embaçada.

É válido ressaltar que apenas um desses sintomas isolado não indicada que uma pessoa tem diabetes. O que os especialistas dizem é que é necessário sentir vários deles. De qualquer forma, é importante estar sempre atento.

Além disso, outra questão importante é que no caso de crianças, é possível observar que elas podem voltar a fazer xixi na cama durante a noite ou até mesmo comecem a ter infecções frequentes na região íntima. Essa é uma dica excelente para que os pais fiquem de olho.

Quais são as causas do diabetes mellitus tipo 1?

Como já mencionado antes, o diabetes tipo 1 está diretamente relacionado ao mau funcionamento do pâncreas por conta do ataque das células do próprio organismo que são responsáveis por produzir a insulina. Sendo assim, não é possível ter a quantidade de insulina suficiente a fim de fazer com que a glicose entre nas células ou seja transformada em energia.

Como consequência, a glicose permanece na corrente sanguínea e, por conta disso, os níveis de glicemia no sangue ficam altos. Essas são as principais causas do diabetes mellitus tipo 1. Entretanto, existem outras que são mais raras, a saber:

  • Uso por muito tempo de antirretrovirais, tiazidas, esteróides e antipsicóticos;
  • Lesões no pâncreas, pancreatite ou a retirada de mais de 90% do órgão;
  • Doenças como câncer de pâncreas, fibrose cística ou hemocromatose.

Todavia, independente de qual foi a causa do diabetes mellitus tipo 1, o importante é que o acompanhamento e o tratamento sejam feitos por um médico especializado, a fim de que outros problemas mais graves sejam evitados.

Tratamento do diabetes mellitus tipo 1

Como o tratamento é super importante, não tem como não falar sobre ele, certo? Para começar, é importante ter em mente que o tratamento, quando feito de forma, adequada é capaz de prevenir o aparecimento de algumas complicações como, por exemplo, dificuldade na cicatrização, má circulação sanguínea, insuficiência renal, problemas sérios de visão, entre outras.

Em relação ao tratamento mesmo, ele é realizado por meio de doses diárias de insulina na forma oral – comprimidos – ou injeções, tudo de acordo com o que o médico recomendar para cada caso. Outra questão importante é que o monitoramento da concentração de glicose antes e depois das refeições é fundamental.

Para se ter uma ideia, o ideal é que esse número esteja em torno de 70 e 130 mg/dl antes das refeições e menor do que 180 mg/dl duas horas após as refeições. Uma mudança nos hábitos de vida também é bastante recomendada para controlar o diabetes mellitus tipo 1. A alimentação, por exemplo, deve ficar livre de açúcares e com baixo teor de carboidratos.

Para complementar a alimentação, nada melhor do que a prática de exercícios físicos, não é mesmo? E saiba que não é necessário fazer nada muito pesado. Uma caminhada, natação ou corrida de 20 minutos por 3 vezes na semana já ajuda e muito nesse processo.

Portanto, manter o diabetes mellitus tipo 1 controlado pode ser muito mais simples do que você imagina. O importante é seguir todas as recomendações do profissional de saúde e manter um hábito de vida bastante saudável.

No entanto, infelizmente não existe apenas o diabetes mellitus tipo 1. Essa doença é caracterizada por se apresentar em diversos tipos, sendo os principais: diabetes tipo 1 e diabetes tipo 2. Confira abaixo as principais diferenças entre esses tipos.

Diferenças entre diabetes tipo 1 e 2

A diferenciação entre os tipos de diabetes pode ser feita de acordo com as formas de prevenção, com a idade que a doença se desenvolveu e com a necessidade ou não do uso de insulina. Tendo isso em mente, confira algumas das diferenças entre diabetes tipo 1 e diabetes tipo 2:

Começo dos sintomas: no caso do diabetes mellitus tipo 1, os sintomas, na maioria das vezes, aparecem entre a infância e a adolescência. É claro que eles também podem aparecer em qualquer idade. Já quando o assunto é o tipo 2 da doença, os sintomas aparecem com mais frequência em adultos com mais de 40 anos e idosos.

Necessidade de insulina: como você já observou ao longo do artigo, os pacientes que possuem diabetes mellitus tipo 1 são totalmente dependentes da insulina. Dessa forma, é fundamental que eles recebam injeções diárias com o objetivo de regular os níveis de açúcar na corrente sanguínea. Por sua vez, quem tem diabetes tipo 2 não necessariamente precisa de insulina, depende muito de cada caso. A doença é bastante controlada com o uso de medicamentos e mudança nos hábitos de vida.

Prevenção: levando em conta o fato de que o diabetes mellitus tipo 1 é uma doença hereditária, não é possível preveni-la. Já o diabetes tipo 2 é possível ser evitado por meio da prática de exercícios físicos e de uma alimentação equilibrada.

Diagnóstico: tanto o diagnóstico do tipo 1 quanto o do tipo 2 é realizado através de exame de sangue, o qual é responsável por medir o nível de açúcar na corrente sanguínea. O médico pode pedir que uma pessoa faça esse exame em jejum ou 2 horas após uma refeição.  Normalmente o diagnóstico do diabetes do tipo 1 é feito quando a pessoa começa a apresentar sintomas da doença, enquanto que no caso do diabetes do tipo 2 o diagnóstico é feito antes do surgimento dos sintomas.

Conclusão

Agora que você já sabe praticamente tudo sobre o diabetes mellitus tipo 1 fica mais fácil de tratá-lo, não é mesmo? Apesar desse tipo de diabetes não ser uma doença que dá para prevenir, é possível evitar que ela cause ainda mais problemas ao organismo. Sendo assim, é realmente muito importante manter uma vida saudável e evitar ao máximo consumir açúcar e carboidrato.

Além de tudo isso, o acompanhamento médico adequado também nunca deve ser deixado de lado. Se viável, uma consulta com um nutricionista pode ajudar o tratamento a ser mais eficaz.

É claro que não é fácil conviver com diabetes mellitus tipo 1, no entanto a boa notícia é que é possível pelo menos. Comece a viver de forma mais saudável e note as diferenças no seu dia a dia.

Guia completo sobre o diabetes mellitus tipo 1
5 (100%) 1 vote