Afinal, diabetes tem cura ou não? 1 A Diabetes não tem cura. Ela pode ser revertida ou estabilizada.

Diabetes é uma condição que afeta os níveis de açúcar no sangue e provoca muitos problemas de saúde graves se não for bem gerida. Os impactos dessa doença sobre a saúde podem ser limitados. Mas, você sabe se diabetes tem cura?

Antes de responder essa pergunta, é válido ressaltar que existem dois tipos de diabetes: tipo 1 e tipo 2. Diabetes tipo 1 é uma doença auto-imune que se desenvolve quando o corpo destrói as células do pâncreas responsáveis por produzirem insulina. Isso significa que as pessoas com diabetes tipo 1 não conseguem produzir insulina.

Já no diabetes tipo 2, há uma diminuição da sensibilidade à insulina e o corpo não produz nem usa tanta insulina quanto necessário. O diabetes tipo 2 é muito mais comum do que o diabetes tipo 1.

Este artigo analisa as terapias e mudanças no estilo de vida que podem ajudar a reduzir os efeitos do diabetes na saúde de uma pessoa. Além disso, ele também responde a pergunta “diabetes tem cura?” Boa leitura.

O diabetes tem cura?

Você já se pergutnou se o diabetes tem cura? Infelizmente, não há cura para o diabetes no âmbito da medicina. No entanto, essa doença pode entrar em remissão. Diabetes em remissão significa simplesmente que o corpo não apresenta mais os sinais de diabetes. No entanto, a doença ainda está tecnicamente lá.

De acordo com o Diabetes Care, a remissão pode assumir diferentes formas:

Remissão parcial: Quando uma pessoa teve um nível de glicose no sangue inferior ao de uma pessoa com diabetes durante pelo menos 1 ano sem qualquer medicação contra a doença.
Remissão completa: Quando o nível de glicose no sangue retorna ao normal, por pelo menos 1 ano sem qualquer medicação.
Remissão prolongada: Quando a remissão dura pelo menos 5 anos.

Mesmo que uma pessoa tenha níveis normais de açúcar no sangue por 20 anos, seu diabetes ainda é considerado em remissão e não “curado”. Sendo assim, ao invés de perguntar se diabetes tem cura, se preocupe em saber os cuidados que você precisa ter com a doença.

A boa notícia é que a remissão é possível em muitos casos e pode ser tão simples quanto fazer algumas mudanças no estilo de vida. Por isso, mesmo que a resposta para a pergunta “diabetes tem cura?” não seja positiva, ainda há o que fazer para gerenciar a doença.


Afinal, diabetes tem cura ou não? 2

Gerenciando diabetes tipo 1

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune frequentemente diagnosticada na infância. Ocorre quando o corpo ataca erroneamente as células beta do pâncreas, impossibilitando-o de produzir a insulina necessária para usar os açúcares.

Isso pode ser um diagnóstico assustador para alguém, mas muitas pessoas gerenciam bem a condição. Alguns indivíduos têm diabetes que entra em remissão depois de terem seguido certas terapias especiais. Essas terapias visam impedir que o corpo ataque as células do pâncreas, permitindo que ele produza sua própria insulina.

Como você já sabe que a resposta da pergunta “diabetes tem cura?” é negativa, é preciso saber como gerenciar o diabetes da melhor forma. Veja a seguir:

Tratamentos de insulina

As injeções de insulina são o tratamento mais comum para o diabetes tipo 1 e podem ser administradas pelos próprios pacientes. As injeções de insulina variam pela rapidez com que agem e por quanto tempo duram. O objetivo é imitar como o corpo produziria insulina ao longo do dia.

As injeções de ação rápida entram em vigor em 5 a 15 minutos, mas duram por um período mais curto, de 3 a 5 horas. Por sua vez, as injeções de ação curta entram em vigor entre 30 minutos e 1 hora e duram de 6 a 8 horas. Já as injeções de ação prolongada surtem efeito após 1 ou 2 horas e duram entre 14 e 24 horas.

Dispositivos implantáveis

Também há pesquisas sobre o uso de dispositivos implantáveis ​​para o controle do diabetes tipo 1.

Um dispositivo implantável que poderia proteger as células beta do pâncreas foi desenvolvido e testado em camundongos. Os pesquisadores descobriram que o dispositivo era capaz de proteger as células beta pancreáticas de um rato de serem atacadas pelo sistema imunológico por até 6 meses.

Este é um período de tempo significativo, considerando o tempo de vida de um rato. A pesquisa é considerada um passo promissor para um futuro livre de diabetes para muitas pessoas. Quem sabe no futuro a pergunta “diabetes tem cura?” tenha uma resposta diferente.

Gerenciando diabetes tipo 2

Atualmente há uma chance melhor de reverter os sintomas do diabetes tipo 2 e colocar a doença em remissão. Isso ocorre porque o diabetes tipo 2 não é uma doença auto-imune e uma variedade de forças externas pode afetá-lo. Se o diabetes tem cura ou não, o importante é que você consegue gerenciar a doença de alguma forma.

Ingestão alimentar e obesidade desempenham um papel importante no diabetes tipo 2. Sendo assim, a reversão é possível em pessoas que aderem a certas mudanças no estilo de vida.

Um recente estudo piloto descobriu que certas intervenções podem ajudar a colocar o diabetes tipo 2 em remissão, incluindo:

  • Rotinas de exercícios personalizados
  • Dietas restritas
  • Medicamentos controlados por glicose

Quatro meses após a intervenção, 40 por cento dos sujeitos foram capazes de parar de tomar seus medicamentos, permanecendo em remissão parcial ou completa.

Mudanças no estilo de vida para diabetes tipo 2

Existem duas mudanças principais de estilo de vida que as pessoas podem fazer para ajudar a controlar o diabetes tipo 2. Veja quais são elas a seguir:

Exercício e perda de peso

Uma boa dieta e exercícios regulares são os primeiros passos para administrar o diabetes tipo 2. De fato, a perda de peso é uma das partes principais do tratamento para pessoas com diabetes tipo 2.

A pesquisa mostrou que a atividade física combinada com a perda de peso modesta pode reduzir o risco de diabetes tipo 2 em até 58%.

O exercício moderado é considerado 150 minutos por semana de atividades aeróbicas, incluindo:

  • Natação
  • Caminhada
  • Andar de bicicleta

É possível atingir essa meta fazendo uma sessão de 30 minutos, 5 dias por semana. Isso pode ser suficiente para ajudar o corpo a controlar os sintomas do diabetes.

Dicas de dieta para controlar o diabetes tipo 2:

Como você já sabe que a resposta para a pergunta “diabetes tem cura?” não é positiva, veja algumas dicas de dieta para controlar a doença:

Limitar de carboidratos: substituir os carboidratos por alimentos ricos em proteínas e ricos em fibras ajudará a regular o açúcar no sangue.

Comer menos açúcar: substituições de açúcar podem ajudar algumas pessoas a controlar os sintomas do diabetes.

Alimentos ricos em fibras: as fibras podem ajudar a retardar a digestão de carboidratos e açúcares.

Portanto, se diabetes tem cura ou não, pode ficar tranquilo. Seguindo essas dicas é possível gerenciar a doença!

A National Library of Medicine dos EUA também recomenda a ingestão de uma grande variedade de alimentos como parte de todas as refeições, incluindo:

  • Legumes
  • Proteínas
  • Produtos lácteos com baixo teor de gordura

Uma dieta variada garante que o corpo receba todos os nutrientes necessários para se manter saudável. As pessoas também são recomendadas a comer menos calorias e tentar comer quantidades semelhantes de carboidratos em cada refeição.

Alimentos ricos em gorduras polinsaturadas saudáveis, como peixes, nozes e óleos vegetais também são altamente recomendados. Enquanto a resposta da pergunta “diabetes tem cura” for negativa, é preciso encontrar outros jeitos de controlar a doença.

Cirurgia

Se fazer mudanças na dieta e fazer exercícios não for possível ou bem-sucedido, a perda de peso pode ser alcançada pela cirurgia bariátrica. Este tipo de cirurgia envolve reduzir o tamanho do estômago, o que ajuda as pessoas a sentirem-se satisfeitas. Alguns tipos de cirurgia também alteram a anatomia de uma pessoa e podem alterar os hormônios que contribuem para o ganho de peso.

Diabetes tem cura? O Futuro do tratamento da doença

O diabetes tornou-se uma epidemia, com mais de 422 milhões de pessoas afetadas em todo o mundo sentenciadas à medicação ao longo da vida. A ciência está se esforçando para encontrar uma cura para esta doença crônica, mas quão perto estamos? Quando a pergunta “diabetes tem cura?” terá uma resposta positiva?

Apesar de seu enorme impacto, ainda não há cura para o diabetes. A maioria dos tratamentos ajuda os pacientes a administrar os sintomas até certo ponto, mas os diabéticos ainda enfrentam múltiplas complicações de saúde a longo prazo.

Tanto diabetes tipo 1 e tipo 2 afetam a regulação da insulina, um hormônio necessário para a captação de glicose nas células, resultando em altos níveis de glicose no sangue. Com o tempo, altos níveis de açúcar deterioram o corpo, especialmente os olhos, os rins, o coração e os vasos sanguíneos.

A revolução sem agulha

Em um mundo perfeito, o teste de açúcar no sangue seria rápido e indolor. Esse mundo pode não estar tão distante, já que muitas empresas estão desenvolvendo métodos não invasivos para substituir a picada do dedo.

A empresa Integrity Applications, desenvolveu um dispositivo chamado GlucoTrack que pode medir a glicose usando ondas eletromagnéticas e já está disponível na Europa.

Tecnologias similares estão aparecendo, com GlucoSense em Londres usando luz laser para medir os níveis de açúcar e MediWise fazendo uso de ondas de rádio. O dispositivo pode reduzir os custos dos cuidados de saúde, que no caso do diabetes representam 90 bilhões de euros por ano na Europa. Será que a pergunta “diabetes tem cura?” terá uma resposta diferente em breve?

O que vem a seguir no tratamento do diabetes?

Espera-se que o mercado de diabetes atinja massivamente 86 bilhões de euros em 2025, combinando os tratamentos tipo 1 ( € 32 bilhões ) e tipo 2 (€ 54 bilhões), e podemos esperar que todo tipo de tecnologias revolucionárias se apresentem e reivindiquem sua participação no mercado.

Pesquisadores já estão especulando sobre microchips que podem diagnosticar diabetes tipo 1 antes que os sintomas apareçam ou nanorrobôs viajando na corrente sanguínea enquanto medem glicose e administram insulina.

O que quer que o futuro traga, sem dúvida, fará uma enorme diferença na vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Quem sabe a pergunta “diabetes tem cura?” não passe a ter uma nova resposta em breve.


Afinal, diabetes tem cura ou não? 2