Pré-diabetes: O que comer para evitar futuras complicações? 1 A Diabetes não tem cura. Ela pode ser revertida ou estabilizada.

O diabetes é uma doença que hoje já afeta muitas pessoas no Brasil e em todo o mundo. Infelizmente, essa doença é crônica e não possui cura ainda, apenas formas de tratamento que são eficazes.

De qualquer forma, é importante ressaltar que muitas pessoas antes de sofrerem com o diabetes de fato acabam sendo diagnosticadas com pré-diabetes. Mas, o que isso significa? O que comer no pré-diabetes para evitar futuras complicações? 

É exatamente isso que você vai ver ao longo deste conteúdo. Em primeiro lugar, entretanto, é preciso entender que o diabetes se caracteriza principalmente pelo aumento dos níveis de açúcar – glicose – no sangue e também pela falta de capacidade do organismo de transformar a glicose proveniente dos alimentos em energia, por exemplo. 

Essa quantidade de glicose no sangue é conhecida como glicemia e quando ela está alta o paciente é diagnosticado com hiperglicemia. É papel da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, reduzir a glicemia e permitir que o açúcar presente no sangue entre nas células e, por consequência, seja usado como fonte de energia. 

O grande problema acontece quando a quantidade de insulina é insuficiente ou quando o hormônio não funciona da forma correta. Isso é o que gera o aumento de glicose no sangue, ou seja, o diabetes. 

Ao todo, há diferentes tipos de manifestações dessa doença: diabetes tipo 1, diabetes tipo 2, diabetes gestacional, pré-diabetes (sobre a qual falaremos mais adiante), entre vários outros que não são tão conhecidos e que não acometem muitas pessoas. 

Que é importante prevenir e tratar o diabetes com certeza você já sabe, não é mesmo? Afinal de contas, essa doença pode trazer muitos riscos para o organismo a médio e a longo prazo.

Uma forma de fazer isso é se atentar à presença do pré-diabetes. É isso mesmo. Mesmo que essa condição seja bastante silenciosa, fazer exames com frequência é importante para prevenir e evitar o diabetes de fato.

Por mais que também não seja algo bom, é muito melhor ser diagnosticado com pré-diabetes do que com diabetes. Isso porque a primeira condição é passível de cura, enquanto que a segunda só pode ser tratada ao longo de toda a vida. 

Atualmente, a Federação Internacional de Diabetes estima que há cerca de 14,6 milhões de brasileiros que possuem pré-diabetes. É um número realmente alto. Sendo assim, é fundamental saber, por exemplo, o que comer no pré-diabetes e como evitar que esse problema vire diabetes de fato. Para saber mais sobre isso, é só continuar acompanhando o conteúdo. 

O que é pré-diabetes de fato?

O pré-diabetes é considerado uma alteração no metabolismo, na qual os níveis de glicose no sangue não ficam muito mais altos do que o normal, ou seja, não são tão altos a ponto de se classificar como diabetes ainda. De uma forma mais resumida, o pré-diabetes pode ser considerado um estado intermediário entre o diabetes e uma condição normal de glicose no sangue.

Esse problema precisa ser interpretado como um sinal de alerta. Isso porque além de mostrar que existe algo errado e que o paciente possui grandes chances de desenvolver diabetes, o próprio pré-diabetes também é capaz de aumentar o risco de doenças cardíacas e outras complicações médicas. 

Caso o pré-diabetes não seja tratado da forma correta, o que acontece é o desenvolvimento do diabetes, que não é tratável e não é totalmente reversível. Ou seja, é muito mais perigoso. 

Sendo uma situação clínica que precede o diagnóstico do diabetes, é preciso estar sempre atento aos possíveis sinais do pré-diabetes, principalmente aqueles relatados nos exames de sangue. A elevação dos níveis de glicose no sangue não é normal. 

O que comer no pré-diabetes

Mas, o que acontece se uma pessoa for diagnosticada com pré-diabetes? O que ela precisa fazer para evitar ao máximo que essa condição se torne um problema mais sério? Para começar, é preciso fazer mudanças nos hábitos de vida, principalmente na alimentação. Começar a ingerir alimentos mais saudáveis e tomar cuidado com o consumo de açúcar é algo fundamental. 

No geral, a alimentação mais recomendada para pessoas com diabetes é composta de: feijão, arroz integral, legumes e frutas, ou seja, alimentos com baixo ou médio índice de glicêmico. Isso porque esses alimentos têm uma tendência de diminuir a quantidade de açúcar no sangue, algo que é realmente necessário para evitar o diabetes.

Além dos exemplos que já foram citados, é importante incluir proteínas, fibras e gorduras nas refeições também, mas tudo com moderação, é claro. Esses tipos de alimentos também previnem o aumento da quantidade de açúcar no sangue. 

Alimentos proibidos

Antes de saber exatamente o que comer no pré-diabetes, é necessário entender quais alimentos devem ser evitados ao máximo. Resumidamente, os alimentos proibidos são aqueles que são fontes de carboidrato e que possuem rápida absorção. Veja alguns exemplos: 

  • Salgados, biscoitos, bolos e pães brancos (ricos em farinha branca);
  • Sorvetes, geleias de fruta, doces e chocolates (ricos em açúcar);
  • Chás ou café com açúcar, energéticos, sucos industrializados e refrigerantes;
  • Fast food, macarrão, batata e arroz branco. 

Além disso, o consumo de frutas e de sucos naturais deve ser moderado para evitar picos de glicemia. 

Alimentos permitidos

Agora finalmente chegou a hora de saber o que comer no pré-diabetes. Confira uma lista:

  • Carnes de carneiro, peixe, frango, porco e boi;
  • Legumes e verduras;
  • Frutas (o consumo deve ser moderado);
  • Lentilha, ervilha, grão-de-bico, soja, feijão e outras leguminosas;
  • Aveia, farinha integral, arroz e macarrão integral;
  • Pistache, amêndoas, nozes, amendoins e castanhas;
  • Manteiga, óleo de coco, azeite e outras gorduras boas. 

Vale ressaltar que uma pessoa com pré-diabetes ainda pode consumir todos os tipos de alimentos. No entanto, o melhor a ser feito é optar pelos naturais, sem açúcar e com pouca farinha para prevenir futuras complicações. 

Montando um cardápio

Depois de ter conferido exatamente o que comer no pré-diabetes, que tal ver algumas opções durante as refeições? Tenha sempre em mente que montar um bom cardápio é fundamental para evitar a diabetes. Esse cardápio precisa ser rico em fibras e com alimentos com gorduras boas ou proteínas. Saiba mais logo abaixo.

Almoço e jantar

Nas principais refeições, ou seja, no almoço e no jantar o mais recomendado é ingerir mais vegetais refogados no azeite ou como salada. Além disso, dá também para escolher alguma fonte de carboidrato que seja integral, como arroz ou macarrão, e escolher algum tipo de proteína para completar o prato. 

A proteína pode ser tanto carne vermelha e frango quanto peixe e ovo, fica a sua escolha. O importante é não se esquecer de comer tudo em pequenas porções. Logo depois da refeição, consumir uma fruta como sobremesa é uma ótima escolha, ainda mais levando em conta o fato de que esse alimento é rico em fibras. 

Café da manhã e lanches

Nas outras refeições durante o dia, ou seja, nos lanches, você pode optar por comer uma fruta com iogurte natural ou com oleaginosas, como é o caso das amêndoas, dos amendoins e das castanhas. Se preferir, também dá para combinar uma fruta com dois ou três quadradinhos de chocolate 70% cacau ou adoçar o iogurte natural com uma colher de mel. 

Em outros lanches maiores, como no café da manhã, o consumo de pães integrais é o mais recomendado. Rechear os pães com algum tipo de proteína, como ovos, por exemplo, é fundamental para ajudar a evitar picos de açúcar no sangue. 

É claro que como estamos falando sobre pré-diabetes, essas recomendações precisam sim ser seguidas, mas não à risca como acontece com pacientes diabéticos. Apenas não se esqueça de que todo cuidado é pouco para evitar problemas mais sérios no futuro. 

Causas do pré-diabetes

Depois de ter entendido o que comer no pré-diabetes, é hora de saber quais são as causas desse problema. De uma forma geral, a má alimentação, o sedentarismo e o ganho de peso são as principais causas do pré-diabetes. No entanto, é preciso ficar atento visto que muitas outras coisas podem acabar ocasionando esse problema também, certo? 

Principais fatores de risco

Dentre todas as causas que foram mencionadas, o ganho de peso é um dos principais fatores de risco do pré-diabetes. Quando ocorre um aumento de peso, o pâncreas começa a produzir mais insulina com o objetivo de controlar os níveis de açúcar no sangue.

O grande problema é que o organismo como um todo não entende esse aumento na produção como algo benéfico, fazendo com que o estado de resistência surja e prejudicando diretamente no funcionamento da insulina. 

Casos de doenças na família, síndrome dos ovários policísticos, hipertensão arterial e aumento nos níveis de triglicérides no sangue são outros fatores de risco que precisam ser considerados. Mães que têm filhos que pesam acima de 4 kg também têm maior risco de desenvolver pré-diabetes.

Sendo assim, o pré-diabetes, mesmo não sendo diabetes de fato, é algo que precisa ser cuidado da forma correta para evitar futuros problemas maiores. Entretanto, agora que você já sabe o que comer no pré-diabetes as chances de deixar essa condição de lado o quanto antes são grandes! Basta seguir todas as recomendações que foram dadas ao longo do conteúdo.